Acordo de cooperação técnica entre ABEP-TIC e ABINC abre caminho para avançar a conectividade dos estados

O acordo de cooperação técnica, firmado durante a 3º DTE da ABEP-TIC e café de relacionamento, permite a troca de conhecimento entre os estados e a Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC).

 

Com o recente leilão do 5G, é necessário entender melhor a coleta de dados do cidadão e criar políticas públicas com o uso da internet das coisas, permitindo uma maior conectividade. Para tal, será criado um grupo de trabalho com colaboradores da ABEP e da ABINC para dar início ao desenvolvimento de ações.

 

Lutiano Silva, presidente do conselho da ABEP-TIC, comenta sobre os próximos passos.

 

“Vamos definir uma área específica, talvez o agronegócio, primeiro projeto a se discutir, entender qual é a dor dos Estados dentro dessa área e ver como a ABINC pode, com sua expertise em tecnologia e internet das coisas, colaborar com os Estados por meio da ABEP com conhecimento e parceria”.

 

O projeto promete ser de extrema relevância para o cidadão, como explica o presidente da ABINC, Paulo José Spaccaquerche.

 

“Acho que com essa junção, vamos conseguir atingir um público bastante interessante, carente de soluções e a ABINC está disposta a fazer esse trabalho em conjunto com a ABEP-TIC. Eu acho que esse é o caminho certo, o princípio da assinatura desse contrato para que a gente faça algo junto para atender a população”.

 

Para Leandro Victorino, vice-presidente de tecnologia da ABEP, os benefícios do acordo vão além da troca de conhecimento. “A vantagem é a gente unir forças. Às vezes um Estado está com uma iniciativa que outros também estão, causando um gasto duplo. Trazendo isso para dentro da ABEP, a gente consegue unir esforços e dar maior velocidade com menos esforço, principalmente financeiro, já que sabemos a dificuldade dos Estados com isso”.

Pauta 2 - ABINC.jpg